Assunção, 16 jun (EFE).- O presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, voltou a afirmar hoje que renunciará a seu cargo em 23 de junho e que espera contar com o apoio dos legisladores para voltar ao Senado como eleito do Partido Colorado.

Duarte renunciará quase dois meses antes da posse do presidente eleito, o ex-bispo Fernando Lugo, prevista para 15 de agosto, para poder jurar, em 1º de julho próximo, como legislador, já que a Constituição impede que uma pessoa exerça dois cargos públicos ao mesmo tempo.

Setores da oposição no Legislativo consideram que Duarte não pode assumir como parlamentar ao argumentar que depois do término de seu mandato já desempenha o cargo de senador vitalício.

O mesmo setor, além de outros que integram a Aliança Patriótica para a Mudança (APC), que levou Lugo ao poder no pleito de 20 de abril passado, também haviam tentado impugnar sem sucesso a candidatura de Duarte ao Senado perante o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral e a Corte Suprema de Justiça.

"Sempre vou cumprir o que diz a Constituição, por isso estou renunciando" disse o presidente paraguaio.

Duarte, cujo partido foi derrotado pela APC após 61 anos no poder, destacou também que buscará como legislador "acompanhar os projetos do presidente Lugo e pelo menos sugerir que não se repita a história" de "sérias sabotagens ao desenvolvimento econômico e social" do país. EFE rg/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.