Presidente paquistanês adverte Índia contra qualquer pressão

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, declarou neste sábado que seu país vai agir para controlar os grupos extremistas, mas exigiu que a Índia não tente determinar a Islamabad como fazê-lo, em meio a tensões entre as potências nucleares depois dos atentados de Mumbai.

AFP |

"Nós o faremos porque precisamos fazê-lo, não porque vocês querem", disse Zardari em Naudero, sul do país, na residência da esposa Benazir Bhutto, assassinada há exatamente um ano em um atentado suicida.

"Deixem para nós a liberdade da democracia, deixem para nós a liberdade de escolha", acrescentou.

A Índia responsabilizou pelos atentados de novembro em Mumbai o grupo paquistanês Lashkar-e-Taiba (LeT) e acusou Islamabad de não fazer o suficiente para controlar os grupos extremistas.

"Temos personagens não estatais. Sim, estão nos impondo sua agenda", admitiu Zardari.

No entanto, acrescentou, "nós o solucionaremos, nós o corrigiremos".

rj/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG