Presidente palestino rejeita acordo parcial com Israel

O presidente palestino, Mahmud Abbas, proclamou nesta sexta-feira em Nova York sua rejeição categórica de qualquer acordo parcial com Israel, num momento em que se aproxima o prazo do fim de 2008 estipulado para a conclusão de um acordo de paz.

AFP |

"Vamos tentar avançar o máximo possível nas negociações em curso com os israelenses daqui ao final do ano, levando em conta as experiências do passado", declarou Abbas nesta sexta-feira em discurso na Assembléia Geral da ONU.

"Quando me refiro às experiências do passado, quero dizer que os acordos parciais ou provisórios, que omitem ou adiam pontos essenciais, não são viáveis e deixam intatas as raízes do conflito, destruindo assim todos os progressos já realizados no caminho da paz", prosseguiu.

Segundo ele, "qualquer acordo tem que ser completo e detalhado, e contar com um mecanismo de aplicação elaborado segundo um cronograma estabelecido com antecedência".

As negociações israelense-palestinas foram relançadas em novembro de 2007 em Annapolis, perto de Washington, com o objetivo de concluir um acordo em 2008. No entanto, poucos progressos foram realizados desde então.

Em seu discurso na ONU, Abbas também denunciou a manutenção por Israel de mais de 600 barreiras militares, que "dividem" os territórios palestinos, e o prosseguimento da colonização israelense.

Pouco antes de seu discurso na Assembléia Geral, Abbas participou de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a colonização, durante a qual afirmou que os blocos de colônias "não permitirão a criação de um Estado palestino já que dividem a Cisjordânia em quatro cantões".

Diante da Assembléia Geral, Abbas também criticou o bloqueio israelense da Faixa de Gaza, e se disse disposto a manter um diálogo com os islâmicos do Hamas, que tomaram o poder em Gaza em junho de 2007.

ezz/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG