Presidente luso destaca que Vieira foi eleito democraticamente

LISBOA - O presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, relembrou que o presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira, foi eleito democraticamente, e defendeu respeito à ordem constitucional na antiga colônia lusa.

Redação com EFE |


O presidente de Guiné-Bissau foi assassinado nesta segunda-feira por soldados leais ao chefe do Estado-Maior do Exército guineense, general Tagme Na Wai, morto ontem à noite em um atentado com explosivos.

"(Vieira) foi eleito democraticamente e por isso a preservação do normal funcionamento das instituições e o respeito à ordem constitucional serão a melhor homenagem a sua memória", disse Cavaco Silva em mensagem ao presidente da Assembleia Nacional Popular de Guiné-Bissau, Raimundo Pereira.

"O povo da Guiné-Bissau manifestou recentemente, em processo eleitoral elogiado pela comunidade internacional, seu apego à democracia e sua esperança em um futuro de paz e desenvolvimento", completou Cavaco Silva.

O chefe de Estado luso disse esperar que os agentes políticos e as forças militares "demonstrem" que compreenderam o sinal enviado "de forma tão eloquente" pelo povo da Guiné-Bissau, para que se coloquem "à altura" das esperanças da sociedade guineense.

O presidente luso, que condenou "os trágicos e deploráveis atentados" ocorridos em Guiné-Bissau, lembrou ter trabalhado com Vieira para "estreitar laços de amizade e cooperação entre Portugal e os guineenses, assim como na defesa de princípios e valores que unem os dois povos".

Ele acrescentou que esses valores são também compartilhados pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que tem o Brasil como um de seus Estados-membros.

    Leia tudo sobre: guiné-bissau

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG