Presidente Lula volta a condenar golpe em Honduras

BRASÍLIA - O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, voltou a condenar nesta quarta-feira o golpe de Estado em Honduras e afirmou mais uma vez que não vai reconhecer as eleições no país caribenho.

Christian Baines, repórter em Brasília |

"O golpe de Estado em Honduras é um retrocesso inaceitável. Devemos repudiá-lo incondicionalmente e exigir o retorno do presidente Manuel Zelaya. Os golpistas precisam entender que a vontade popular é soberana em nosso continente. Não reconheceremos as eleições conduzidas pelas forças do atraso e do autoritarismo", afirmou Lula, durante cerimônia de recepeção ao presidente de El Salvador, Mauricio Funes, no Palácio do Itamaraty.

Segundo Lula, o Brasil está tomando todas as medidas, em convergência com a Unasul e a OEA, contra o golpe. "O Brasil tomou todas as medidas de condenação ao golpe. Retiramos nosso embaixador, interrompemos todos os projetos de cooperação e suspendemos a isenção de visto de entrada", disse o presidente.

Visita de Mauricio Funes

Lula recebeu nesta quarta-feira, com um forte abraço, o líder de El Salvador, Mauricio Funes, no Palácio do Itamaraty, para uma reunião que tem como objetivo reforçar as relações entre os dois países.

Funes iniciou nesta quarta uma visita oficial de dois dias ao Brasil e a primeira atividade de sua agenda oficial foi reunião privada com Lula, que depois foi ampliada para ministros dos dois países.

Funes chegou à sede do Ministério das Relações Exteriores acompanhado por sua esposa, a brasileira Vanda Pignato, que também foi recebida com um forte abraço de Lula.

Vania é uma antiga militante do PT e tem uma forte relação de amizade com Lula.

Funes pretende aproveitar sua visita oficial ao Brasil para solicitar a continuidade de projetos de cooperação já em desenvolvimento, principalmente no setor de biocombustíveis.

Pretende ainda oferecer seu país como porta de entrada de produtos brasileiros aos Estados Unidos, graças ao acordo de livre-comércio que El Salvador tem com o país.

Funes, que na quinta-feira se reunirá com empresários brasileiros em São Paulo, também pretende encorajar a indústria brasileira a instalar fábricas em seu país e a colaborar com o desenvolvimento de biocombustíveis de cana-de-açúcar, da qual El Savador é grande produtor.

Segundo fontes oficiais, Lula e Funes também revisarão diversos assuntos da agenda regional, como as negociações para um acordo comercial entre o Mercosul e o Sistema da Integração Centro-Americano (Sica).

* Com informações da EFE

Leia mais sobre golpe em Honduras

    Leia tudo sobre: hondurasmanuel zelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG