Presidente líbio deixa Tunísia e envia emissário à Mauritânia

Túnis, 6 ago (EFE) - O presidente líbio, Muammar Kadafi, retornou hoje à tarde à Líbia ao fim da visita de trabalho feita à Tunísia desde domingo passado, e anunciou o envio de um emissário à Mauritânia, onde hoje o presidente desse país foi deposto por um golpe militar. A Líbia, que exerce a Presidência semestral da União do Magrebe Árabe (UMA), integrada também por Argélia, Marrocos, Mauritânia e Tunísia, pediu ao secretário-geral da organização, o tunisiano Habib Ben Yahia, que viaje hoje mesmo à capital mauritana. A delegação líbia informou da Tunísia que o objetivo da missão de Ben Yahia é informar da evolução da situação na Mauritânia, após o golpe militar dirigido pelo chefe da guarda presidencial, o general Mohammed Abdelaziz. Ao deixar a capital tunisiana, Kadafi rejeitou comentar o ato desta manhã em Nuakchott, e o mesmo silêncio mantêm até o momento os dirigentes tunisianos, que se limitaram a dar a notícia. O último ato de Kadafi antes de concluir sua visita à Tunísia foi a inauguração, na terça-feira, de um complexo de 1.200 casas, uma escola e um centro médico construídos na periferia da capital com financiamento líbio.

EFE |

O complexo leva o nome de Omar el-Mokhtar, histórico guerrilheiro nacionalista líbio que combateu a invasão italiana da Cirenaica em 1911 e morreu enforcado pelos invasores em 16 de setembro de 1931.

EFE mo/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG