Presidente iraquiano também pede apuração manual de votos em pleito

Bagdá, 21 mar (EFE).- O presidente iraquiano, Jalal Talabani, endossou hoje o pedido do primeiro-ministro Nouri al-Maliki para que os votos emitidos nas eleições parlamentares de 7 de março sejam recontados manualmente.

EFE |

"Para evitar qualquer dúvida e confusão, pedimos uma apuração manual dos votos nos centros eleitorais, como muitos grupos políticos que participaram das eleições solicitaram", disse Talabani em um comunicado.

Na nota, o presidente justificou seu pedido no fato de que, "antes do anúncio dos resultados finais, muitos grupos que participaram do pleito exigiram a apuração manual das cédulas nos centros eleitorais de várias províncias".

Talabani, porém, não especificou em quais províncias foram apresentadas reclamações sobre a contagem dos votos.

"Na qualidade de presidente da República e como encarregado de proteger a Constituição, garantir o seguimento de seu texto e espírito e assegurar a imparcialidade e a justiça, peço à Comissão Suprema Eleitoral Independente a apuração manual dos votos a partir de domingo, 21 de março", disse.

O pedido foi feito horas depois de Maliki também ter solicitado a contagem manual dos votos como forma de "conservar a estabilidade política e evitar a desestabilização da segurança e o retorno da violência, para cujo controle foi necessário muito esforço, sangue e sofrimento".

Segundo os resultados mais recentes da votação, anunciados ontem pela Comissão Eleitoral, apurados 92% das cédulas, a coalizão Al Iraqiya, liderada pelo ex-primeiro-ministro Ayad Allawi, aparece com uma vantagem de 7.928 votos sobre a coalizão Estado de Direito, ao qual Maliki pertence. EFE am/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG