Presidente iraniano demite ministro de Relações Exteriores

Manouchehr Mottaki é substituído por principal autoridade nuclear do país, Ali Akbar Salehi

iG São Paulo |

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, demitiu seu ministro de Relações Exteriores nesta segunda-feira e indicou a maior autoridade nuclear do país para substituí-lo no cargo, informou a agência oficial de notícias Irna.

AP
Mottaki e Ahmadinejad, em foto de 2008

"Eu agradeço seu empenho e seus serviços como ministro das Relações Exteriores", disse Ahmadinejad em uma carta de demissão a Manouchehr Mottaki, segundo a Irna. "Espero que seus esforços sejam abençoados por Deus e que você seja bem sucedido para o resto de sua vida a serviço do povo de nossa nação islâmica".

O ministro, que está no cargo desde 2005, soube da demissão no Senegal, onde fazia visita oficial.

A emissora estatal informou que Ahmadinejad indicou o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, um aliado próximo do presidente, para comandar o ministério.

Uma página reformista na Internet disse que Mottaki divergia das políticas de Ahmadinejad. "Ele não conseguiu se ajustar aos pontos de vista do presidente e sua política externa", afirmou o site.

No Irã, Mottaki era visto como uma figura próxima do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei. A demissão parece indicar que Ahmadinejad quer ter no cargo de chanceler alguém que seja mais fiel a ele. Segundo o jornal americano "The New York Times", há meses Ahmadinejad buscava tirar Mottaki do cargo, mas era impedido por Khamenei, que tem a palavra final sobre os principais ministérios. Analistas afirmam que a saída de Mottaki pode ser parte de uma disputa entre conservadores e liberais no Irã.

"A medida mostra não apenas as tensões internas do Irã, mas, também, a prioridade da questão nuclear na política externa iraniana, afirmou à agência AP Rasool Nafisi, especialista no país da Universidade Strayer, na Virginia (EUA).

A demissão de Mottaki coincide com a retomada das negociações de Teerã com o Grupo 5+1 das principais potências mundiais, a respeito do programa nuclear iraniano. Novas discussões estão marcadas para janeiro.

O ex-ministro vinha sendo criticado internamente devido à pressão internacional para o país suspender seu programa de enriquecimento de urânio. As potências tentam pressionar o Irã a aceitar uma negociação internacional a respeito do seu programa nuclear, que o Ocidente teme estar voltado para o desenvolvimento de armas atômicas, o que Teerã nega.

Com Reuters, BBC e AP

    Leia tudo sobre: irãnuclearministroahmadinejadrelações exteriores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG