cultura do martírio - Mundo - iG" /

Presidente iraniano defende a cultura do martírio

O presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad defendeu a cultura do martírio como forma de resolver os problemas econômicos e mundiais, em um encontro com famílias de mártires da guerra entre seu país e o Iraque nos anos 80, informa a agência Mehr.

AFP |

"Se queremos construir nosso país, preservar nossa grandeza e resolver os problemas econômicos, temos necessidade da cultura do martírio", afirmou o chefe de Estado iraniano.

"Hoje em dia, os povos livres do mundo escolheram a via de nossos mártires, que é a da grandeza e do orgulho. O martírio é um atalho para o topo da felicidade", resumiu.

Segundo Ahmadinejad, "a contagem regressiva da destruição das grandes potências já começou".

O ultraconservador é alvo de críticas tanto de setores reformistas como de conservadores moderados por suas declarações intempestivas e por sua política econômica com altos índices de inflação (18,5% segundo fontes oficiais, mas superior a 25% de acordo com estimativas de analistas).

As autoridades iranianas estimulam o culto do martírio dos falecidos na Revolução Islâmica de 1979 e na guerra contra o Iraque (1980-88).

    Leia tudo sobre: ahmadinejad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG