ABUJA - O presidente interino da Nigéria, Goodluck Jonathan, dissolveu o gabinete de governo nesta quarta-feira, em um novo passo para firmar sua autoridade apenas um mês depois de assumir poderes executivos.

"Ele não nos deu nenhuma razão para a dissolução do gabinete. Secretários vão assumir os ministérios a partir de amanhã (quinta-feira)", disse a ministra da Informação Dora Akunyili, que está de saída, depois de uma longa reunião do gabinete.

Os poderosos governadores dos 36 Estados da Nigéria e altos dirigentes dos partidos no poder devem agora indicar nomes para os ministérios, os quais serão submetidos à avaliação e aprovação do Senado, processo que pode levar semanas.

Enquanto isso, Jonathan é o único administrador da nação mais populosa e maior produtora de petróleo e gás da África, porque, como presidente interino, ele não tem um vice.

Jonathan assumiu o cargo no início de fevereiro, durante os três meses de ausência do enfermo presidente Umaru Yar'Adua, que está em tratamento médico em uma clínica saudita. Yar'Adua retornou à Nigéria, mas continua doente demais para governar.

Jonathan agiu rapidamente para firmar sua autoridade. Ele já havia destituído o ministro da Justiça -um aliado próximo de Yar'Adua - e apontado o respeitado ex-general Theophilus Danjuma como um de seus principais conselheiros.

Leia mais sobre Nigéria

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.