Presidente indonésio confirma morte de líder radical

O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, confirmou nesta quarta-feira na Austrália a morte de Dulmatin, um dos líderes da rede terrorista Jemaah Ismaliya (JI), terça-feira em território indonésio.

AFP |

"Podemos confirmar que uma das pessoas mortas era Dulmatin, um dos principais dirigentes terroristas do sudeste asiático que procurávamos", declarou Yudhoyono em Canberra.

Dulmatin, um indonésio de 39 anos, foi morto em um cibercafé de Pamulang, nas proximidades de Jacarta.


Chefe de polícia da Indonésia exibe imagem de Dulmatin / AP

Dulmatin era suspeito de ser um dos cérebros dos atentados de Bali em 2002, os mais violentos da história indonésia, que deixaram 202 mortos, incluindo muitos turistas.

A Jemaah Islamiya, que tem vínculos com a Al-Qaeda, luta desde os anos 90 por um Estado islâmico no sudeste da Ásia. Mas a organização ficou fragilizada após uma grande ofensiva antiterrorista executada pela Indonésia com a ajuda dos Estados Unidos e da Austrália.

O presidente americano, Barack Obama, deve visitar Jacarta no fim de março com a família.

Leia mais sobre Indonésia

    Leia tudo sobre: indonésia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG