O presidente francês Nicolas Sarkozy declarou nesta quarta-feira que viajará à Síria em 3 de setembro, o último passo para normalizar as relações entre os dois países, rompidas depois do assassinato, em 2005, do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri.

O antecessor de Sarkozy, Jacques Chirac, rompeu as relações com a Síria em protesto pelo assassinato, ao acusar Damasco de envolvimento no caso.

A Síria, que negou as acusações francesas, faz parte da lista norte-americana de países que promovem o terrorismo.

ial/rm/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.