Presidente expressa dor do povo argentino pela morte de Ted Kennedy

Buenos Aires, 27 ago (EFE).- A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, expressou hoje a dor do povo argentino e de seu Governo pela morte do senador democrata americano Edward Kennedy, informaram fontes oficiais.

EFE |

Na opinião da presidente argentina, Kennedy "não limitou sua paixão pela justiça a seus conterrâneos", mas "sua ativa militância pela causa dos direitos humanos o transformou em inimigo das ditaduras que castigaram a América Latina", afirmou, em comunicação dirigida ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Para Cristina, Ted Kennedy foi um dos primeiros e "mais estratégicos" legisladores a denunciar as políticas de sequestros e assassinatos vividas na Argentina durante os "cruéis" anos da última ditadura militar (1976-1983).

No texto, divulgado pela agência estatal "Télam", também considerou que Kennedy "sempre soube representar os sonhos e as esperanças das pessoas mais vulneráveis de seu país", defendeu suas convicções "com a generosidade e a grandeza também mostrada por seus irmãos John e Robert", que "perderam a vida na epopeia de construir um mundo mais justo e democrático".

Edward Kennedy, de 77 anos, morreu na terça-feira à noite em sua casa de Hyannis Port, em Massachusetts, devido a um câncer cerebral.

EFE ea/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG