Quito, 14 jun (EFE).- O presidente do Equador, Rafael Correa, reiterou hoje que continuará apoiando o voto pelo sim no plebiscito que deverá ser convocado para aprovar a nova Constituição que está sendo redigida pela Assembléia Constituinte.

Correa ressaltou que continuará dizendo "sim à mudança e sim à nova Constituição".

"Essa foi a ordem que o povo equatoriano me deu", disse.

As declarações do governante fizeram referência a recentes comentários do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), insatisfeito porque o Executivo teria iniciado a campanha pelo "sim" no plebiscito.

"Senhores do TSE, não sejam ridículos, os senhores sabem que campanha eleitoral é contratar publicidade em um meio de comunicação, pagar propaganda", alegou.

"Mas dizer nossas convicções (...), como vão nos privar de nossa liberdade de expressão e, pior, ao Presidente da República.

Portanto, sim e mil vezes sim, compatriotas", ressaltou.

Em seu programa semanal de rádio, acrescentou que não permitirá que "ninguém restrinja a livre expressão, o direito de se expressar e cumprir o mandato" que os equatorianos lhe deram "em 26 de novembro de 2006 (vitória nas eleições) de fazer uma nova Constituição".

Correa voltou a alertar sobre momentos difíceis para sua Administração em conseqüência da campanha pelo "não", segundo ele, iniciada pela oposição.

Além disso, insistiu em que há grupos que querem desestabilizar sua Administração, e pediu unidade ao povo. EFE sm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.