Presidente eleito nos EUA manterá ajuda à Colômbia, diz diplomata

Bogotá, 2 nov (EFE).- A colaboração dos Estados Unidos com a Colômbia é um assunto de interesse nacional que será mantido pelo futuro presidente, afirmou o embaixador americano em Bogotá, William Brownfield.

EFE |

"Esse interesse nacional não vai mudar", afirmou Brownfield em entrevista publicada hoje pelo jornal "El Tiempo", de Bogotá.

O diplomata afirmou que, nos últimos oito anos, os EUA mantiveram uma "política coerente" e que pouco mudou em relação à Colômbia.

Ele disse que os Governos dos dois países têm interesse "em colaborar com esta política em termos econômicos, na luta contra a droga ilícita, na segurança e no terrorismo, no comércio, e em assuntos sociais e humanitários".

"Não é que um Governo tenha decidido dar um presente ao outro", é que os dois "fizeram uma análise de seus interesses nacionais" e optaram por "esta política de apoio, que chamamos de Plano Colômbia", acrescentou o diplomata.

Neste contexto, Brownfield não previu grandes mudanças, "pelo menos por parte de Washington" a partir de 20 de janeiro, quando o novo presidente americano assumirá o cargo.

O embaixador reconheceu que a atual crise financeira internacional pode afetar a ajuda de seu país à Colômbia, mas disse que os argumentos para mantê-la têm a mesma força de 1999, quando o Plano Colômbia foi aprovado.

O apoio aos colombianos também não seria sacrificado em favor do México, que enfrenta um crescente problema de narcotráfico e de violência, afirmou Brownfield. EFE jgh/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG