Presidente eleito chileno estuda ampliação da zona de catástrofe

O presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, que toma posse em 11 de março, afirmou que avalia a ampliação da zona de catástrofe no país. A declaração foi feita depois de encontro com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, que visita nesta terça-feira o país.

AFP |

"Estamos avaliando a possibilidade de estender em nosso futuro governo esse estado de catástrofe para outras regiões de tal forma que as soluções em matéria de ordem pública, água potável, eletricidade, sejam mais rápidas e efetivas", disse diante da secretária de Estado.

Anteriormente, Hillary disse a Piñera que os EUA estão dispostos a colaborar com o Chile em tudo o que for necessário.

Hillary e Piñera tiveram uma reunião de uma hora, que o chileno classificou de "fecunda". "Quero agradecer a visita de Hillary Clinton ao Chile", disse Piñera.

Segundo os sites dos jornais chilenos El Mercurio e La Tercera, Piñera convidou o presidente dos EUA, Barack Obama, a visitar o Chile em abril.

Anteriormente, Hillary se reuniu com a atual presidente Michelle Bachelet . Ela manifestou sua solidariedade e forneceu equipamentos de comunicações via satélite, para atender as necessidades mais urgentes dos chilenos.

Depois da visita ao Chile, Hillary segue para o Brasil , onde se reúne na quarta-feira em Brasília com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chanceler Celso Amorim. Além de Brasília, Hillary também visitará São Paulo, onde mantém um encontro com estudantes na Universidade Zumbi dos Palmares.


Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: chileterremototerremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG