Presidente dominicano promoverá projeto de reforma constitucional

Santo Domingo, 16 ago (EFE).- O presidente dominicano, Leonel Fernández, anunciou hoje, no discurso de posse de seu terceiro mandato, que nos próximos dias submeterá ao Congresso Nacional um projeto de reforma da Constituição.

EFE |

O presidente pediu aos diferentes setores do país que deixem de lado as divergências políticas, e defendam um "diálogo social" que permita chegar a um consenso que garanta o desenvolvimento integral da sociedade dominicana.

"Apelamos também a esse pacto entre os diferentes setores políticos do país para debater e aprovar o projeto de reforma constitucional que, depois de uma consulta popular em massa, democrática e entusiasmada, terei a honra de submeter, durante os próximos dias, perante nossas câmaras legislativas", anunciou.

Ao contrário do que era especulado, Fernández não submeteu hoje o projeto de reforma à Constituição, que abordaria assuntos como a realização em um mesmo ano de eleições gerais e legislativas e a redução dos poderes presidenciais.

Em seu discurso, o chefe de Estado dominicano se posicionou, além disso, a favor da aplicação de uma política de "tolerância zero" à corrupção, embora tivesse considerado que o país requer, fundamentalmente, uma "revolução moral" que estabeleça o senso de ética, integridade e transparência.

Ele também garantiu que seu Governo aplicará "com energia" as medidas requeridas para impedir o avanço das operações do narcotráfico no país.

"Os fatos recentes de violência que aconteceram no país geraram uma grande consternação e constituem uma voz de alerta de que sob nenhuma circunstância devemos esmorecer frente ao combate às drogas e à criminalidade", expressou o governante.

Fernández, de 54 anos, pareceu se referir com o comentário ao assassinato de sete pessoas na semana passada em uma comunidade rural do sul do país, que as autoridades locais atribuíram a enfrentamento entre grupos de narcotraficantes.

"O Governo dominicano reitera seu compromisso de aplicar energicamente todas as medidas requeridas para impedir a produção, distribuição, tráfico e consumo de drogas ilícitas em nosso território nacional", afirmou o presidente em seu discurso perante representantes de 47 países.

"Os chefes da droga e do crime, que escutem bem, porque aqui, na República Dominicana, não passarão", afirmou o presidente ao assumir para o período 2008-2012.

O chefe de Estado governou pela primeira vez o país entre 1996 e 2000 e voltou ao poder entre 2004 e 2008. EFE rs/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG