Bruxelas, 21 ago (EFE).- O presidente do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), Fausto Pocar, atribuiu hoje o julgamento do caso do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic a outra sala do tribunal.

Um porta-voz do tribunal assegurou à Efe que a decisão de Pocar de realocar o caso, da sala I para a III do tribunal, "não é uma resposta ao pedido de Karadzic de afastamento de um dos magistrados designados para trabalhar no caso".

Karadzic solicitou na terça-feira o afastamento do presidente da sala I, Alphons Orie, por considerar que o juiz tinha "interesses pessoais no caso".

Radovan Karadzic citou, como provas da falta de objetividade de Orie, outras sentenças ditadas pelo juiz, como os 27 anos de reclusão aos quais condenou seu "braço direito" na Bósnia, Momcilo Krajisnik.

O ex-líder dos sérvios da Bósnia foi detido nos arredores de Belgrado em 21 de julho, e enfrenta 11 acusações de crimes de guerra e lesa-humanidade supostamente cometidos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995).

A porta-voz do TPII assinalou que a realocação do caso a princípio não deve afetar o calendário do processo contra Karadzic, que no próximo dia 29 tem previsto um novo comparecimento, no qual terá que se declarar culpado ou inocente das acusações. EFE rcf/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.