Por Tito Belo DILI (Reuters) - O presidente do Timor Leste, José Ramos-Horta, chegou em casa na quinta-feira e foi recebido por milhares de pessoas após mais de dois meses de tratamento na Austrália devido a lesões na tentativa de assassinato contra ele em fevereiro.

Uma parada militar recebeu Ramos-Horta quando ele desceu do avião no aeroporto de Dili, onde milhares também se reuniam. O presidente sorriu enquanto a multidão gritava 'Viva presidente Ramos-Horta'.

Aos 58 anos, com um Prêmio Nobel no currículo, Ramos-Horta foi atingido a tiros em um ataque rebelde contra sua casa em Dili em 11 de fevereiro. Ele agradeceu ao Parlamento e a autoridades do governo, à Igreja e às pessoas de Timor Leste e do exterior pelo apoio.

'Estou feliz de estar de volta', disse o presidente em entrevista coletiva no aeroporto, onde foi recebido pelo premiê Xanana Gusmão, o líder da oposição Mari Alkatiri e outros ministros e diplomatas.

Ramos-Horta quase morreu ao ser atingido por dois tiros de rebeldes ligados ao líder Alfredo Reinado. Gusmão também foi atacado, mas saiu ileso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.