Presidente do Sudão anuncia fim do conflito em Darfur

Cartum, 24 fev (EFE).- O presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, afirmou hoje que o conflito em Darfur, no oeste do país, acabou com a assinatura na última terça-feira de um acordo com os rebeldes do Movimento da Justiça e da Igualdade (MJI).

EFE |

Em um comício em Al-Fasher, maior cidade de Darfur, Bashir disse que a batalha que resta agora é pela reconstrução e o desenvolvimento da região, e abriu as portas do Sudão para o retorno do líder do MJI, Ibrahim Khalil, exilado no Chade.

"Damos boas-vindas a Khalil e seus irmãos em sua pátria, como queridos cidadãos de bem para compensar o país por tudo o que passou", ressaltou o presidente.

Bashir destacou a unificação de dez facções armadas em uma plataforma (Movimento de Libertação e Igualdade), anunciada também ontem no Catar. Segundo ele, esse é o primeiro passo para a união rebelde ao atual processo negociador e a organização será presidida pelo ex-governador de Darfur, Al-Tiyani al-Sisi.

Sobre isso, antecipou que o Governo assinará em breve um acordo de paz com a nova organização.

Bashir aproveitou o discurso para anunciar que o Governo libertou ontem metade dos combatentes do MJI condenados a morte por participar da ofensiva no oeste de Cartum, em 9 de maio de 2008, que deixou mais de 300 mortos.

Nesse sentido, se comprometeu a soltar os demais condenados a morte do grupo rebelde depois da assinatura de um acordo de cessar-fogo definitivo.

O Governo do Sudão e o MJI assinaram ontem em Doha um acordo marco de paz, que inclui um cessar-fogo, como passo prévio ao reatamento das conversas e a um pacto definitivo, que deve ser assinado antes de 15 de março.

Segundo a ONU, o conflito de Darfur, que eclodiu em 2003, causou mais de 300 mortes e obrigou 2,7 milhões de pessoas a abandonar suas comunidades de origem. EFE az/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG