Presidente do Senegal propõe a extinção da FAO

Dacar, 5 mai (EFE).- O presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, propôs a extinção da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) ao considerá-la ineficaz para solucionar os problemas atuais no âmbito da alimentação.

EFE |

"Reivindiquei sempre a mudança da sede da FAO para a África, onde vivem os doentes que pretende curar, pois não se justifica sua presença em países desenvolvidos", declarou Wade para uma emissora estatal.

"Agora vou mais longe: é preciso acabar com ela e transferir seus ativos para o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), que poderia se transformar em um Fundo Mundial de Assistência à Agricultura com sede obrigatória na África", acrescentou.

A crise de alimentos "é amplamente o fracasso" da FAO, cujas atividades estão duplicadas por outras instituições "mais eficazes" tais como o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, a ONG Oxfam e o Fida, comentou o líder senegalês.

Na sua opinião, a nova instituição deveria promover a assistência técnica à agricultura. "Os africanos deveriam negar a continuação de uma política de esmola e de humilhação", declarou Wade.

O presidente senegalês desculpou seu compatriota Jacques Diouf, atual diretor-geral da FAO, ao elogiar suas capacidades e sua abnegação.

Wade criticou também o papel de algumas ONGs humanitárias que acusou de desviar os fundos destinados à ajuda no campo da alimentação. EFE st/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG