Presidente do Senado italiano pede resolução de caso de prostituta nigeriana

Roma, 12 ago (EFE).- O presidente do Senado italiano, Renato Schifani, pediu hoje que seja esclarecido o caso de uma jovem prostituta nigeriana cuja foto foi publicada pela imprensa em uma cela de uma prisão de Parma (norte) atirada no chão, suja e seminua.

EFE |

O jornal italiano "La Repubblica", que publica hoje a foto, explica que a jovem foi detida com outras mulheres durante uma batida contra a prostituição realizada pela Polícia Municipal de Parma.

A jovem reagiu de forma violenta e aos prantos. Depois foi levada para uma cela na qual ficou no chão, seminua, cheia de pó por todo o corpo e onde permaneceu por pelo menos meia hora, relata o jornal.

Schifani pediu, em relação ao caso da jovem "fotografada em uma cela em condições de extremo abandono", esclarecimentos ao delegado do Governo de Parma, segundo um comunicado do Senado.

"A dramática foto publicada corre o risco, de fato, de transmitir uma imagem de nosso país diferente da realidade e de tudo o que se está fazendo para proteger a ordem pública, mas com respeito aos direitos invioláveis da pessoa", acrescenta.

A publicação explica que a foto foi tirada na sexta-feira passada em uma cadeia de Parma, para a qual tinham sido convidados fotógrafos e jornalistas para acompanhar a segunda operação que era realizada na cidade contra a prostituição em três dias.

O vereador de Segurança da Prefeitura de Parma, Costantino Monteverdi, que qualificou a foto de "instrumental", afirmou para a imprensa local que a cidade "não é insensível com os mais fracos".

EFE cr/bm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG