Presidente do Porto deverá ser indenizado por detenção ilegal

Lisboa, 16 set (EFE).- O presidente do Porto, Nuno Pinto da Costa, deverá ser indenizado pelo Estado português em 20 mil euros por causa de sua detenção ilegal durante o caso de corrupção no futebol conhecido como Apito Dourado.

EFE |

O Tribunal de Relação do Porto condenou o Estado português a pagar ao dirigente a indenização por sua detenção por três horas em dezembro de 2004.

A sentença detalha que, embora a ordem de detenção tenha sido válida, o fato de que Pinto da Costa se apresentasse por vontade própria ao Tribunal a tornou desnecessária e, portanto, a posterior detenção foi ilegal.

Em março de 2004, as autoridades portuguesas enviaram uma carta anônima à imprensa local contando sobre o caso "Apito Dourado", na qual assinalava que os dirigentes da equipe de Gondomar, da Segunda Divisão B, tentavam conseguir a classificação através de subornos.

Os casos de suborno salpicaram depois a outras equipes do Campeonato Português, entre elas o Porto. EFE arm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG