LIMA (Reuters) - O presidente peruano, Alan García, viaja nesta terça-feira ao Chile para entregar ajuda ao país vizinho após o forte terremoto que deixou mais de 700 mortos e afetou dois milhões de pessoas. O governo do Peru anunciou na segunda-feira que enviaria dois aviões Hércules da força aérea local com barracas, material de socorro e um hospital de campanha, além de um Boeing 737 com médicos para atender os feridos pelo tremor de magnitude 8,8, um dos mais fortes já registrados no mundo.

García foi autorizado pelo Congresso a viajar numa sessão extraordinária da Comissão Permanente do Congresso.

Segundo a autorização, García, "supervisionará"a entrega da ajuda humanitária e a situação dos peruanos que vivem no Chile e que foram afetados pelo terremoto de sábado. Mais de 12.000 peruanos moram no Chile.

Autoridades chilenas estimam que 300 peruanos tenham sido afetados em Santiago e outros 200 na cidade de Concepción, no sul do Chile. Uma mulher peruana e seu filho estão entre os mortos no tremor.

Em 2007, o Peru foi atingido por um terremoto de magnitude 7,9 no litoral do país que deixou 600 mortos e destruiu milhares de casas.

Chile e Peru travam atualmente uma disputa em uma corte internacional por diferenças em seus limites marítimos.

(Reportagem de Dante Alva e Marco Aquino)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.