Presidente do Parlamento libanês pede que Justiça persiga Kadafi

Beirute, 31 ago (EFE).- O presidente do Parlamento libanês, Nabil Berri, acusou hoje o líder líbio Muammar Kadafi de estar no topo do crime organizado e pediu para que a Justiça árabe e internacional o persigam pelo desaparecimento na Líbia do imame Moussa Sadr, clérigo xiita libanês, há 31 anos.

EFE |

"Pedimos aos regimes árabes e muçulmanos, assim como às organizações internacionais, para que tomem as medidas pertinentes relacionadas ao assunto Moussa Sadr", disse Berri diante de milhares de pessoas no sul de Beirute.

A comunidade xiita libanesa responsabiliza Kadafi pelo desaparecimento de Sadr, chefe da comunidade xiita do Líbano, junto com o xeque Mohamad Yaacub e Abbas Baderin, durante uma viagem à Líbia.

Para Berri, o líder líbio "nunca deverá presidir uma cúpula árabe", em referência à cúpula da União Africana realizada recentemente em Trípoli, e pediu para que tome como exemplo a libertação de Abdel Baset al-Megrahi e ponha Sadr em liberdade.

Megrahi, que sofre de um câncer em fase avançada, foi libertado recentemente pela Justiça do Reino Unido apesar de seu envolvimento no atentado de Lockerbie, na Escócia, em 1988.

O assunto do desaparecimento de Sadr provocou a ruptura de relações diplomáticas com a Líbia. EFE ks/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG