Teerã, 29 out (EFE).- O presidente do Parlamento do Irã, Ali Larijani, disse hoje, em tom de ameaça, que os Estados Unidos pagarão pelos recentes ataques aéreos na Síria e no Paquistão, que estes dois países atribuíram ao Exército americano.

Durante o discurso inaugural da sessão parlamentar, Larijani afirmou também que as conseqüências dos incidentes escapam ao controle de Washington.

"Os Estados Unidos não devem pensar que suas aventuras em países muçulmanos, entre eles Síria e Paquistão, são um jogo que não lhes custará nada", ameaçou o político, segundo a agência oficial de notícias iraniana "Irna".

Larijani defendeu "fortes e surpreendentes respostas" aos EUA, "já que as advertências políticas e os protestos diplomáticos não são a solução".

Damasco denunciou que quatro helicópteros americanos penetraram em seu território, vindos do Iraque, no domingo passado e atacaram uma aldeia fronteiriça, em ofensiva na qual morreram oito pessoas.

Até o momento a Administração americana mantém silêncio sobre esta operação, enquanto o Executivo iraquiano afirmou que o lugar do ataque é cenário habitual de atividades de grupos terroristas.

No Paquistão, o Governo chamou hoje a embaixadora americana em Islamabad, Anne Patterson, para lhe exigir o fim dos ataques aéreos que aviões não tripulados -segundo ela, americanos- realizaram nas últimas semanas contra zonas tribais do país.

Os EUA crêem que nestas zonas se refugiam integrantes da milícia fundamentalista islâmica afegã Talibã e membros da organização terrorista internacional Al Qaeda. EFE msh/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.