Presidente do Parlamento Andino defende unidade

Quito, 14 out (EFE).- A equatoriana Ivonne Baki, presidente do Parlamento Andino, disse hoje que é de suma importância a Comunidade Andina de Nações (CAN) superar suas diferenças internas e se unir não apenas com objetivos de reforçar o bloco e a União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

EFE |

Após lembrar as diferenças entre Bolívia, Colômbia, Equador e Peru, membros da CAN, Baki afirmou que os presidentes desses países "devem ser sinceros" e avançar na integração.

"Não importa a ideologia. Na Europa, reúnem-se várias ideologias; isso não tem nada a ver, o que é preciso é seguir adiante com a integração", disse à emissora de televisão equatoriana "Ecuavisa".

Baki questionou como a Unasul pode se integrar com força "e a CAN, com quase 40 anos de existência, não ir à frente", por isso ressaltou a importância de seguir trabalhando na integração andina.

Nesse sentido, destacou que os presidentes dos países andinos, que se reúnem hoje em Guayaquil (Equador), à exceção do chefe de Estado colombiano, Álvaro Uribe, devem propor diretamente mecanismos para avançar na integração do bloco.

Baki lamentou que os órgãos de integração da CAN não possam participar da reunião de hoje apesar de terem sido convidados.

"Os órgãos de integração foram convidados, mas nos desconvidaram.

Mudaram porque dizem que queriam fazer não com todo o sistema, mas com os presidentes a portas fechadas", revelou Baki.

A presidente do Parlamento Andino considerou um "erro" a ausência dos órgãos de integração na cúpula, pois, a seu critério, é o momento oportuno de compartilhar pontos de vista perante a crise econômica mundial e visando às negociações de um acordo de associação com a União Européia (UE).

Também afirmou que Uribe "fez mal em não estar presente" no encontro de hoje.

Uribe anunciou que não iria à cúpula por causa de recentes declarações do presidente do Equador, Rafael Correa, que disse que não esquecerá o ataque militar colombiano a um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) instalado em território equatoriano, em 1º de março.

A cúpula da CAN contará com a presença dos presidentes da Bolívia, Evo Morales; do Peru, Alan García; e Correa, atual presidente rotativo do bloco, enquanto o Governo colombiano enviou uma delegação de primeiro escalão. EFE sm/wr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG