Presidente do México quer prisão perpétua para sequestradores

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente mexicano, Felipe Calderón, que governa em meio a uma crescente onda de violência, fez um apelo ao Congresso nesta quinta-feira para que seja aprovada uma lei para sentenciar sequestradores à prisão perpétua sem a concessão de liberdade condicional. O apelo de Calderón aconteceu dias depois que o corpo do filho de 14 anos de um magnata do varejo esportivo foi encontrado dentro de um carro na Cidade do México. O adolescente tinha sido sequestrado havia mais de um mês e foi morto mesmo depois de sua família ter pago o resgate.

Reuters |

Diversos policiais foram presos pelo sequestro.

'Não podemos permitir que o medo e o terror causados pelo crime organizado tomem conta do nosso país', disse Calderón a jornalistas.

A iniciativa de Calderón estabeleceria a sentença de prisão perpétua em casos de crimes de sequestros que terminam em morte ou particularmente brutais, e nos casos de sequestros de menores.

Calderón fez da luta contra o crime uma das bases de seu governo, desde que assumiu o cargo em dezembro de 2006, tendo espalhado milhares de tropas e policiais pelo país para perseguir membros de quadrilhas de narcotraficantes.

O presidente enviou uma proposta ao Senado mexicano em março de 2007 para aumentar as sentenças de crimes de sequestro e agora quer que o Congresso reveja e aprove a proposta.

As atuais penas para sequestros variam dependendo do Estado em que os crimes aconteceram, mas as sentenças máximas podem chegar a até 40 anos.

(Reportagem de Cyntia Barrera Diaz)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG