Presidente do México propõe ampla reforma política

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente mexicano, Felipe Calderón, propôs um pacote de reformas eleitorais nesta terça-feira que permitirá que a maioria dos políticos concorra a novos mandatos e institui o segundo turno nas eleições presidenciais. A proposta, que reverte a proibição de décadas à reeleição de políticos, deve combater o desapontamento dos mexicanos com o sistema político do país, disse Calderón.

Reuters |

"Os cidadãos devem ser aqueles que premiam um bom desempenho e aqueles que punem o uso do poder irresponsável ou negligente. A ideia é dar mais poder aos cidadãos, melhorar sua capacidade de determinar o futuro da vida pública e, assim, fortalecer nossa democracia", disse Calderón no palácio presidencial.

Sob a reforma, deputados poderiam concorrer a até quatro mandatos de três anos, enquanto senadores poderiam se candidatar por um segundo mandato de seis anos.

Calderón também deseja reduzir em 20 por cento o número de assentos no Congresso, para 400 membros, e reduzir em um quarto o Senado, para 96 assentos.

A iniciativa também impõe um segundo turno para as eleições presidenciais se nenhum dos candidatos atingir maioria absoluta no primeiro turno de votação.

O mandato presidencial seguirá por período único de seis anos, sem a possibilidade de reeleição.

Calderón foi eleito em 2006 com menos da maioria dos votos e sua vitória foi marcada por acusações de fraude após sua curta vantagem sobre seu adversário de esquerda.

(Reportagem de Robert Campbell)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG