Presidente do México confirma desaparecimento de investigador

Mas Calderón diz que ainda não foi confirmada a morte de membro do MP aparentemente envolvido em investigação de massacre de 72

iG São Paulo |

O presidente do México, Felipe Calderón confirmou nesta sexta-feira o desaparecimento de um agente do Ministério Público do Estado de Tamaulipas, onde foram massacrados 72 imigrantes nesta semana, com a ressalva de que ainda não há a confirmação de que ele tenha sido morto. A afirmação foi feita depois de jornais locais terem afirmado que o corpo do investigador havia sido encontrado .

"O procurador do Estado de Tamaulipas acaba de informar que o investigador Roberto Javier Suárez Vázquez certamente está desaparecido, mas não deu informações sobre sua morte", disse Calderón durante a última sessão do fórum Diálogo pela Segurança, realizado nesta sexta-feira na Cidade do México.

Um porta-voz da Procuradoria Geral de Justiça de Tamaulipas disse nesta sexta-feira à EFE que o paradeiro de Vázquez é desconhecido "desde a tarde de quarta-feira e, até este momento, ele não foi localizado, da mesma forma que um funcionário de segurança pública de San Fernando".

Aparentemente, o agente desaparecido colaborava nas tarefas de investigação do massacre de 72 imigrantes em um rancho de San Fernando. Os corpos foram encontrados após a Marinha manter um enfrentamento com supostos membros da organização criminosa " Los Zetas ".

O grupo, fundado em 1999 por desertores de um grupo de elite do Exército mexicano, supostamente é o autor do massacre, segundo revelou o único sobrevivente do caso, um equatoriano protegido pela Marinha que conseguiu escapar de seus sequestradores.

Na quinta-feira à noite, fontes oficiais confirmaram que membros da Marinha encontraram dois corpos em uma estrada que leva ao município de San Fernando. A princípio foi informado que um deles era de Vázquez . No entanto, a procuradoria-geral de Justiça do Estado esclareceu que essa informação não está confirmada ainda.

Brasileiros

O governo do Brasil tenta confirmar a identidade de um brasileiro que estaria entre os 72 imigrantes ilegais encontrados mortos em San Fernando. Segundo a procuradoria mexicana, 31 corpos já foram identificados e um deles seria de um brasileiro, mas o Itamaraty ainda não confirma a informação .

Procurado pelo iG , o Itamaraty afirmou que na noite de quinta-feira o governo mexicano passou às autoridades brasileiras o nome de uma vítima que seria do Brasil. No entanto, o nome não foi encontrado no sistema do consulado do país no México, que relaciona apenas pessoas que possuem passaporte.

O Itamaraty afirmou que o nome não parece brasileiro, mas não quis divulgá-lo. Agora, o consulado do Brasil tenta conseguir mais informações sobre a vítima com a procuradoria de Tamaulipas e a secretaria de Relações Exteriores do México.

*EFE e AFP

    Leia tudo sobre: méxicotráficobrasileirosnarcotráficofelipe calderón

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG