Presidente do Líbano denuncia invasões israelenses em seu país

Beirute, 21 jul (EFE).- O presidente libanês, Michel Suleiman, denunciou hoje violações israelenses diretas e indiretas no território do Líbano e pediu a comunidade internacional que use sua influência para coloca um fim às ações.

EFE |

"Israel continua invadindo o território libanês, seja de modo direto por via terrestre, marítima ou aérea, ou indireto, através das redes de espionagem no território", afirmou Suleiman, segundo um comunicado da Presidência.

Além disso, o presidente do Líbano qualificou como uma "provocação" a presença israelense nas fazendas de Shebaa, único território que Israel não abandonou quando se retirou do sul do país em maio de 2000, após 22 anos de ocupação, e nas colinas de Kfar Chuba.

Para Suleiman, Israel quer estabelecer uma nova realidade em Shebaa e Kfar Chuba, "o que deve empurrar a comunidade internacional para atuar e pôr um fim a essas ações".

Além disso, destacou que é muito importante que a cooperação entre o Exército libanês e a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) seja mantida para "evitar qualquer problema".

Suleiman acrescentou que tanto a segurança dos membros da Finul, quanto a retirada israelense das fazendas de Shebaa, das colinas de Kfar Chuba e do norte da aldeia de Ghajar são garantidas pela resolução 1701 da ONU, que pôs fim à guerra de 2006 entre Israel e o Hisbolá.

As palavras de Suleiman coincidem com o anúncio feito hoje pelas autoridades libanesas da desarticulação de um suposto grupo terrorista, composto por dez pessoas, que pretendia realizar atentados contra a Finul e o Exército libanês. EFE ks-ssa/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG