Presidente do Irã pede punição a líderes oposicionistas

Por Parisa Hafezi TEERÃ (Reuters) - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, defendeu nesta sexta-feira que os líderes dos protestos realizados após a eleição presidencial de junho sejam processados e punidos.

Reuters |

Grupos de proteção aos direitos humanos dizem que centenas de pessoas, incluindo políticos de oposição, jornalistas e ativistas, foram detidas após a eleição. Muitas ainda estão na cadeia.

Políticos conservadores e comandantes da Guarda Revolucionária também pediram a prisão dos candidatos presidenciais derrotados Mirhossein Mousavi e Mehdi Karoubi e do ex-presidente Mohammad Khatami por liderarem os protestos.

"Os líderes e os principais elementos por trás dos distúrbios devem ser tratados com a maior firmeza", disse Ahmadinejad durante as orações de sexta-feira na Universidade de Teerã.

O presidente disse que os que foram presos durante os protestos devem ser liberados, mas que os líderes devem enfrentar a Justiça.

Karoubi e Mousavi, que dizem que a votação foi fraudada para garantir a vitória de Ahmadinejad, exigiram investigações sobre as denúncias de tortura e abusos sexuais por parte de agentes de segurança.

Líderes de oposição dizem que pelo menos 69 pessoas foram assassinadas desde a eleição, contradizendo o dado oficial de 26 mortes.

Ahmadinejad confirmou implicitamente as acusações de abuso sexual, pedindo a punição dos responsáveis.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG