O presidente do Haiti, René Préval, disse nesta quarta-feira que a criação de uma força humanitária coordenada pelas Nações Unidas melhoraria a resposta a desastres como o terremoto que atingiu seu país em janeiro.

Reuters
Préval e Obama durante encontro em Washington

Préval e Obama durante encontro em Washington

Em Washington, após encontro com o presidente americano, Barack Obama, Préval elogiou a ajuda internacional oferecida ao país caribenho, mas disse que a "eficiência precisa melhorar" e a chave para isso seria uma melhor coordenação central.

"É por isso que apoio a criação dos chamados 'capacetes vermelhos' na ONU, (que poderiam desempenhar a função de) um sistema de alerta e observação de desastres naturais e uma força humanitária", disse ele, afirmando que esta força desempenharia papel equivalente ao dos "capacetes azuis", as forças militares de paz das Nações Unidas.

Préval disse que a ideia é que esta nova força possa começar a atuar "minutos após a ocorrência de desastres naturais, o que é fundamental para salvar vidas".

Chuvas

O presidente americano disse que a situação no Haiti permanece "horrenda", dois meses após o terremoto que destruiu a capital Porto Príncipe e matou cerca de 230 mil pessoas.

"Muitos haitianos necessitam desesperadamente de abrigo, comida e remédios. E com a temporada de chuvas se aproximando, essas necessidades apenas aumentarão", disse Obama.

"O desafio agora é evitar um segundo desastre. É por isso que hoje, a convite do governo haitiano, milhares de civis e militares americanos permanecem lá."

Obama afirmou que os Estados Unidos permanecerão comprometidos com a reconstrução do Haiti.

Leia mais sobre Haiti

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.