O presidente do Equador, Rafael Correia, que prestou juramento nesta segunda-feira para um segundo mandato de quatro anos, propôs aos países da região que estabeleçam formas de controlar os excessos da imprensa.

Correa, que prevê radicalizar sua política de teor socialista, discursou durante a cerimônia realizada na sede do Legislativo em Quito, na presença dos chefes de Estado que também participam na segunda cúpula da Unasul, a União das Nações Sul-americanas.

vel-sp/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.