Presidente do Equador promete justiça por ataque da Colômbia

QUITO (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, disse na terça-feira que não irá ceder em sua busca por justiça pela agressão cometida pela Colômbia ao invadir seu território em março para atacar guerrilheiros das Farc. O incidente levou Quito a romper relações com Bogotá, e recentemente a Procuradoria Geral equatoriana solicitou que o ministro colombiano da Defesa, Juan Manuel Santos, seja ouvido para identificar os responsáveis pela operação militar.

Reuters |

'O governo de (Alvaro) Uribe se omitiu quanto às solicitações que o Estado equatoriano enviou (...) sobre as irregularidades a respeito do bombardeio', disse Correa a uma rádio.

'Não cederemos em nossa busca por justiça', disse ele, condicionando o restabelecimento de relações a uma 'mudança radical na conduta' de Bogotá.

Correa, no entanto, admitiu que dificilmente a Colômbia vai mudar. O presidente afirmou que o país gasta anualmente mais de 100 milhões de dólares para vigiar os cerca de 600 quilômetros de fronteira comum.

(Por Alexandra Valencia)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG