Presidente do Bird pede ampliação do G7 para países emergentes

O clube dos sete países mais industrializados (G7) deve ser ampliado para incluir sete países emergentes, entre eles o Brasil, afirmou nesta segunda-feira o presidente do Banco Mundial, Robert B. Zoellick, advertindo que o sistema multilateral entrou em crise.

AFP |

"O G7 já não funciona", advertiu Zoellick em um discurso diante de um painel de especialistas em Washington.

"Necessitamos de um grupo melhor para tempos diferentes", declarou o ex-representante americano de Comércio Exterior.

"Para a cooperação financeira e econômica devemos considerar um novo comitê diretor, que inclua o Brasil, China, Índia, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul e o atual G7", acrescentou.

"O multilateralismo econômico precisa ser redefinido além das finanças e do comércio. Os acontecimentos de setembro podem significar o ponto de queda para muitos países em desenvolvimento. Uma queda das exportações, assim como a entrada de capitais, desencadeará a retirada dos investimentos", alertou Zoellick.

"Alguns países se verão mergulhados numa crise da balança de pagamentos. E, como sempre acontece, os mais pobres são os que menos defesas possuem", acrescentou.

Leia mais sobre G7

    Leia tudo sobre: g7

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG