Presidente deposto mauritano é levado sob vigilância a seu povoado natal

Nuakchott, 13 nov (EFE).- O presidente deposto da Mauritânia, Sidi Mohammed Ould Sheikh Abdallahi, que permanece detido desde o golpe de Estado de 6 de agosto, foi levado a seu povoado natal, Lemden, ao sul de Nuakchott, informou à agência Efe o ex-porta-voz do derrubado chefe de Estado, Abdoulaye Mamadou Ba.

EFE |

Segundo Ba, o ex-presidente foi levado no início do dia a Lemden (240 quilômetros ao sul de Nuakchott) no que definiu "uma transferência vigiada de local de residência".

No entanto, as autoridades da Junta Militar não fizeram ainda uma declaração oficial sobre a nova situação de Abdallahi.

A esposa de Abdallahi e seus filhos permanecem, por enquanto, em Nuakchott.

Contatada por telefone, a irmã do ex-presidente, Jadiyatu, disse à Agência Efe que tinha visitado o irmão em casa e que se encontra em bom estado de saúde.

Jadiyatu disse que "os habitantes do povoado saíram às ruas para saudar seu filho quando souberam da chegada, não há nenhuma restrição para visitá-lo, apesar da presença de um veículo de segurança perto do local".

Abdallahi, que foi deposto por uma Junta Militar dirigida pelo general Mohammed Ould Abdel Aziz, atual "homem forte" do país, permanecia detido até então em um chalé no recinto do Palácio de Feiras e Congressos em Nuakchott. EFE mo-hm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG