O presidente taiwanês, Ma Ying-jeou, pediu desculpas neste sábado pela resposta lenta do governo no auxílio às vítimas do tufão Morakot, diante da indignação da opinião pública.

"Poderíamos ter feito muito melhor e poderíamos ter sido mais rápidos. Mas não fomos nem melhores nem mais rápidos. Com certeza sentimos muito", declarou à imprensa no condado de Nantou, região central do país, uma das áreas mais afetadas pelo tufão, que oficialmente deixou 121 mortos.

Mas o balanço pode superar 500 mortes, já que mais de 300 pessoas são consideradas desaparecidas em um povoado montanhoso do sul do país.

aw/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.