Presidente de Taiwan pede desculpas por resposta lenta a tufão

Taipé, 15 ago (EFE).- O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, pediu hoje desculpas pela resposta lenta do Governo em organizar os trabalhos de resgate das vítimas do tufão Morakot, que poderiam chegar, disse, a 500.

EFE |

Ma respondeu desta forma às críticas públicas recebidas pela demora nas operações para resgatar centenas de pessoas soterradas pelo lodo gerado pelas fortes chuvas causadas pelo tufão.

"Poderíamos ter feito tudo melhor e mais rápido. Mas não foi assim e lamento muito", disse o presidente à imprensa no condado central de Nantou, muito afetado pelo tufão.

Segundo o presidente taiuanês, o mau tempo dos últimos dias com fortes chuvas atrapalhou o trabalho dos helicópteros de resgate e das missões de socorro em seu conjunto.

Ma afirmou que o número de 123 mortos pode aumentar para 500 porque ainda há centenas de pessoas enterradas sob o lodo somente na aldeia montanhosa de Siaolin.

Os trabalhos de resgate seguiam hoje com cada vez menos esperanças de encontrar sobreviventes entre os soterrados, isolados e sem alimentos. EFE flp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG