Presidente de Câmara britânica renuncia após escândalo

LONDRES (Reuters) - O presidente da Câmara dos Comuns da Grã-Bretanha disse nesta terça-feira que vai deixar o cargo em junho após as críticas recebidas pela forma como tratou um escândalo de gastos de parlamentares que abalou a reputação da casa. Michael Martin é o primeiro nome importante a deixar o cargo devido ao escândalo de gastos dos parlamentares com itens desde adubo a filmes pornográficos, que levou a oposição a pedir uma eleição geral antecipada.

Reuters |

"Para que a unidade possa ser mantida, eu decidi que vou deixar o gabinete da presidência no domingo, 21 de junho", disse Martin em breve comunicado entregue ao Parlamento. Um novo presidente da Câmara será eleito no dia seguinte, acrescentou ele.

Martin recebeu críticas por se opor à transparência nos gastos dos parlamentares. O escândalo foi descoberto após a publicação de reportagens do jornal Daily Telegraph com base em informações que vazaram do Parlamento mostrando como os parlamentares fraudavam o sistema de gastos, apesar do salário anual de 65.000 libras (mais de 100.000 dólares).

O último presidente da Casa a renunciar foi John Trevor, em 1695, após perder credibilidade por aceitar propina.

(Por Adrian Croft e Frank Prenesti)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG