Presidente de bispos alemães reconhece que Igreja ajudou pouco as vítimas

Berlim, 2 abr (EFE).- O presidente da Conferência Episcopal alemã, o arcebispo de Freiburg Robert Zollitsch, reconheceu hoje que a Igreja Católica prestou pouca ajuda às vítimas dos abusos sexuais cometidos em seu seio e prometeu um novo começo.

EFE |

Em comunicado divulgado por sua diocese por causa da Sexta-Feira Santa, Zollitsch assegura que a Igreja reconheceu os erros do passado e promete que no futuro se centrará mais nas vítimas em lugar de se preocupar tanto com sua reputação.

Em um ambiente social diferente ao de agora "não se prestou a suficiente atenção às vítimas, em parte por um temor equívoco de prejudicar a reputação da Igreja", disse Zollitsch, reconhecendo que isto é "uma realidade" que deve ser enfrentada.

Zollitsch destacou que os casos de pedofilia cometidos por religiosos causam "pena, horror e vergonha".

Para o presidente da Conferência Episcopal, é Sexta-Feira Santa, que na Igreja simboliza o começo de algo novo, e deve se aproveitar para "esse novo começo" que tanto necessitam "todos com urgência".

A maioria das dioceses alemãs anunciou que nas missas de hoje serão pronunciadas preces pelas vítimas dos abusos sexuais.

Nas últimas semanas houve um constante surgimento de casos de pedofilia em centros de ensino da Igreja, cometidos em sua maioria em décadas passadas, embora não exclusivamente. EFE ih/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG