Presidente da Zâmbia morre em hospital de Paris

O presidente da Zâmbia, Levy Mwanawasa, morreu nesta terça-feira em um hospital de Paris, onde recebia tratamento depois de sofrer um derrame cerebral em junho. O vice-presidente, Rupiah Banda, confirmou a morte de Mwanawasa em rede nacional de rádio e TV e anunciou sete dias de luto oficial.

BBC Brasil |

Segundo a correspondente da BBC em Johanesburgo Karen Allen, Levy Mwanawasa, de 59 anos, havia passado por uma cirurgia na segunda-feira, mas morreu na manhã desta terça-feira.

Ele havia sido levado ao hospital no dia 29 de junho, quando participava de um encontro da União Africana no Egito.

Mwanawasa, que era advogado por formação, serviu dois mandatos como presidente.

Segundo Allen, ele deverá ser lembrando, entre outras coisas, como um dos poucos líderes africanos a se manifestar contra a atual crise no Zimbábue, fazendo um apelo por união, paz e estabilidade no país.

Correspondentes dizem que Mwanawasa morreu justamente em uma época em que ele estava destinado a desempenhar um papel importante na África como presidente da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral.

Ele era visto por instituições internacionais como uma influência positiva na região devido à sua hostilidade à corrupção e ao desejo de implementar reformas econômicas apesar da oposição de alguns grupos.

Internamente, Mwanawasa havia rompido relações com seu predecessor, Frederick Chiluba, que o havia escolhido para liderar o Movimento pela Democracia Partidária.

Mwanawasa pressionou para que a imunidade de Chiluba fosse retirada e o ex-presidente foi acusado de roubar dinheiro durante seu mandato.

Por isso, os críticos de Mwanawasa o acusavam de perseguir seus rivais políticos sob o disfarce de uma luta contra a corrupção.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG