Presidente da Sérvia defende acordo com UE sobre missão no Kosovo

Belgrado, 16 out (EFE).- O presidente da Sérvia, Boris Tadic, espera que Belgrado e o Executivo europeu entrem em acordo sobre a Missão da União Européia no Kosovo (Eulex), que o Governo sérvio aceitará apenas se for apoiada pelo Conselho de Segurança da ONU.

EFE |

"Trabalhamos nisso com todos os fóruns internacionais, com o Conselho de Segurança da ONU, com a União Européia (UE), com representantes da Rússia e dos Estados Unidos, com todos os que são de importância vital para o futuro do Kosovo na Sérvia", declarou Tadic ao jornal sérvio "Vecernje Novosti".

Tadic deixou claro que, para a Sérvia, a Eulex seria aceitável sob três condições.

A primeira é que seu desdobramento no Kosovo deve contar com o sinal verde do Conselho de Segurança da ONU.

A segunda é que a missão deve ser neutra sobre o estatuto e a terceira, a não aplicação do plano do ex-mediador finlandês e Prêmio Nobel da Paz de 2008, Martti Ahtisaari, que prevê uma independência tutelada do Kosovo.

A Sérvia também reiterou que nunca reconhecerá a independência do Kosovo, autoproclamada em 17 de fevereiro, e que não aceitará nada que possa pôr sua integridade territorial em interdição.

Belgrado reconhece a Missão das Nações Unidas no Kosovo (Unmik) - desdobrada desde 1999, segundo a resolução 1.244 do Conselho de Segurança da ONU - como a única autoridade internacional nesse território.

Devido à nova situação na região, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou em junho seu plano de prorrogação da Unmik e a redução do papel da ONU para que a Eulex assuma gradualmente mais responsabilidades em matéria de polícia, justiça e alfândegas.

A Sérvia afirmou na época que a prorrogação da Unmik não pode ser feita sem o consentimento de Belgrado, mas se mostrou sua disposição ao diálogo. EFE sn/wr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG