Presidente da Nicarágua quer relações de respeito com novo presidente dos EUA

Manágua, 4 nov (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse hoje que, independente de qual for o resultado das eleições nos Estados Unidos, seu país desenvolverá relações de respeito com o Governo americano.

EFE |

Ortega, em discurso pronunciado em um hotel de Manágua, no qual anunciou a entrega de ajuda para o conserto de casas, disse que "seria um milagre que Barack Obama fosse eleito presidente dos Estados Unidos".

Acrescentou que, se o senador republicano John McCain vencer, independente de sua simpatia pelo democrata Obama - a quem considera símbolo dos imigrantes nos Estados Unidos -, as relações que desenvolverá com os americanos será de "respeito mútuo".

"Portanto, esperamos os resultados dessas eleições", disse Ortega, diante de um auditório que agitava bandeiras vermelhas e pretas da governante Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN).

Em seu discurso, transmitido por rádio e televisão, Ortega falou pouco sobre McCain e muito sobre Obama.

Também disse que, nos Estados Unidos, há pouco pluralismo, já que, desde os tempos do presidente Abraham Lincoln, o Governo foi disputado por candidatos de dois partidos.

"Só se revezaram (no Governo) republicanos e democratas, nenhum outro partido. Bom, esso é o sistema que têm e nós o respeitamos", disse.

No entanto, disse que agora apresentou-se uma situação "realmente extraordinária", já que, pela primeira vez na história dos Estados Unidos, um candidato é de origem africana.

"(Barack) Obama é o símbolo do imigrante que chegou aos Estados Unidos, teve seus filhos ali e chegou de uma região empobrecida, colonizada e explorada", acrescentou Ortega, depois de se referir amplamente à luta pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.

O governante lembrou que, após a nomeação de Obama como candidato presidencial democrata, disse que considerava isso um fato muito importante.

"É um fato revolucionário nos Estados Unidos, devido ao racismo que existiu e existe nesse país. Também acrescentei que, independente de nossa simpatia, porque Obama representa o imigrante de todos os países pobres, existe o risco de Barack Obama ser assassinado", disse Ortega.

Ortega lembrou que, nessa nação, existem grupos poderosos que já mataram outros presidentes. EFE fm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG