Tamanho do texto

Manágua, 16 ago (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, declarou hoje que deseja construir uma relação de respeito com os Estados Unidos, embora mantendo princípios antiimperialistas.

Em discurso feito no norte do país, divulgado pela televisão e por rádios favoráveis ao Governo, Ortega informou que em breve chegará à Nicarágua o novo embaixador dos EUA, Robert J. Callahan.

"Assim que chegar o embaixador americano temos que estar preparados para receber as cartas credenciais dele", disse o governante em Astúrias, onde inaugurou uma obra de infra-estrutura para proteger o Lago de Apanás.

O líder sandinista explicou que quando nomeou o acadêmico Arturo Cruz como embaixador da Nicarágua nos EUA, Washington recebeu as cartas credenciais em tempo recorde "por respeito".

"O importante é criar relações de respeito, o que não significa que vamos ficar calados perante o que não é correto na política dos EUA", advertiu Ortega.

"Eu não vou me envergonhar de nossos princípios, nós dizemos a eles que somos antiimperialistas e vocês devem compreender", afirmou.

O novo embaixador americano na Nicarágua terá um papel discreto, prudente, construtivo e "negociará duro" com Manágua, declarou em 13 de agosto o ex-chanceler mexicano Jorge Castañeda.

Callahan, diplomata de carreira, especialista em diplomacia pública e ex-funcionário do Escritório da Direção de Inteligência Nacional, foi nomeado à frente da delegação americano em Manágua pelo presidente George W. Bush, em substituição de Paul Trivelli.

Callahan foi porta-voz da embaixada de Washington em Honduras durante os anos 80, quando os EUA apoiaram os chamados rebeldes "contras" para derrubar, com as armas, o primeiro Governo sandinista na guerra civil travada nesses anos, que causou milhares de mortos na Nicarágua.

O embaixador de Washington em Tegucigalpa naquela época era o ex-diretor do Conselho de Inteligência Nacional e atual número dois do Departamento de Estado, John Negroponte.

Callahan substituirá Trivelli, que já abandonou o país e que esteve à frente da delegação americana desde 9 de setembro de 2005.

EFE fm/bm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.