Presidente da Nicarágua acusa EUA de censurar Cúpula das Américas

Havana, 22 abr (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, acusou hoje os Estados Unidos de impor a censura na Cúpula das Américas, realizada no fim de semana passado em Trinidad e Tobago, e denunciou um tratamento ruim dado a líderes da região para favorecer o presidente americano, Barack Obama.

EFE |

"Lá (na reunião) a censura foi imposta. (...) Os chefes de Estado da América Latina e do Caribe foram censurados", disse Ortega em um programa da TV cubana que contou com a presença do vice-presidente local Ricardo Cabrisas e do chanceler, Bruno Rodríguez.

"Quem terá influído? Quem terá determinado essa censura? Eu não tenho nenhuma dúvida de que quem se preocupou para que a cúpula fosse censurada foi a delegação americana, que participou dos preparativos junto com a Organização dos Estados Americanos (OEA)", completou Ortega, que se encontra em Cuba desde terça-feira.

Segundo o líder nicaraguense, na reunião de Port of Spain os debates se desenvolveram "de costas para os povos", e sua principal "fraqueza" foi que a censura foi imposta.

Fora isso, se queixou do tratamento dado a vários presidentes latino-americanos em sua chegada ao aeroporto em Trinidad e Tobago, onde tiveram que "fazer fila" e esperar "três horas ou mais" para "facilitar o acesso" do presidente Obama.

Ortega, que fez um discurso de 50 minutos na inauguração da reunião, lamentou que nas discussões os presidentes tenham tido pouco tempo para falar.

O presidente nicaraguense destacou que apesar de Cuba estar excluída da cúpula, a região "foi uma voz unânime" na exigência do fim do bloqueio dos EUA.

Cuba "era um tema que não podia ser censurado", acrescentou. EFE arj/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG