Presidente da Letônia ameaça convocar plebiscito para dissolver Parlamento

Moscou, 14 jan (EFE).- O presidente da Letônia, Valdis Zatlers, ameaçou hoje convocar um plebiscito sobre a dissolução do Parlamento, caso os deputados não aprovem emendas na Constituição que permitam aos cidadãos pedir a realização de eleições legislativas antecipadas.

EFE |

Zatlers estipulou o dia 31 de março como prazo aos legisladores para aprovar as emendas, em entrevista coletiva sobre os distúrbios registrados ontem na capital, Riga, durante um protesto em massa contra a política do Governo.

O presidente exigiu que o primeiro-ministro, Ivars Godmanis, apresente em semanas uma fórmula de reorganização do Governo que permita entregar as principais pastas "a profissionais, e não a influentes líderes de partidos".

"Caso contrário, será preciso orquestrar uma considerável ampliação da coalizão governante, pois, se no Executivo não aparecerem novos nomes, a Letônia precisará de 'um Governo de reconciliação'", disse Zatlers, segundo a agência russa "Itar-Tass".

Pelo menos dez policiais e 50 manifestantes ficaram feridos e 106 pessoas foram detidas nos protestos registrados ontem à noite em Riga, quando cerca de mil manifestantes apedrejaram a sede do Parlamento, informou hoje o Departamento de Polícia de Riga.

O apedrejamento aconteceu depois de cerca de 20.000 pessoas protestarem no centro da capital contra as medidas do Governo que visam a atenuar o impacto da crise financeira na Letônia, além de reivindicar a dissolução do Legislativo.

A Letônia é o Estado da União Européia (UE) mais afetado pela crise global, e seu Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre do ano passado caiu 4,6% em comparação com o mesmo período de 2007. EFE se/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG