Presidente da Geórgia pede cessar-fogo após violentos conflitos

Por Margarita Antidze MEGVREKISI, Geórgia (Reuters) - O presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, pediu na quinta-feira um cessar-fogo imediato com os militantes separatistas da Ossétia do Sul, depois de dias de luta que despertaram o temor de uma nova guerra no Cáucaso. Ele reforçou a oferta de autonomia completa para a região. Segundo o presidente, a Rússia pode ser o fiador desta autonomia, pois já teria indicado que deseja refrear os separatistas.

Reuters |

'Eu ofereço a vocês um cessar-fogo imediato e o início imediato de negociações', disse Saakashvili em um discurso televisionado.

As regiões de Ossétia do Sul e Abkásia, na Geórgia, têm o apoio político e financeiro da Rússia, mas a Geórgia, ex-membro da União Soviética, se alinhou com o Ocidente e quer se filiar à Otan. O país fica no coração de uma região que está se tornando uma rota vital no transporte de energia.

Saakashvili disse que os militares da Geórgia ainda estão sob o fogo da artilharia, mas ele ordenou a suas forças que não revidem. 'Foi uma decisão dolorosa, mas tivemos baixas e as casas dos moradores locais foram danificadas', disse.

As autoridades da Ossétia do Sul não comentaram sobre a iniciativa do presidente.

Os Estados Unidos e a Rússia concordaram em trabalhar em conjunto para pôr um fim aos confrontos, informou o secretário-assistente de Estado norte-americano Dan Fried em uma entrevista na quinta-feira.

Fried disse à Reuters que ele conversou com o vice-ministro russo das Relações Grigory Karasin por telefone e 'ambos concordaram em trabalhar juntos para pôr fim aos combates em Ossétia do Sul e encorajar o diálogo político.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG