Presidente da Colômbia admite que polícia disparou contra índios

Por Luis Jaime Acosta BOGOTÁ (Reuters) - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, admitiu nesta quarta-feira que um policial disparou sua arma contra uma manifestação indígena no sudoeste do país, mas disse que os dois índios que morreram foram vítimas de explosões, e não de tiros.

Reuters |

O incidente ocorreu na terça-feira, perto da localidade de Santander de Quilichao, Departamento do Cauca, onde milhares de indígenas faziam uma marcha pela Rodovia Pan- Americana -- ligação do sudoeste com o centro do país.

Os líderes da manifestação asseguram que tiros dados pela polícia mataram dois índios. Um canal internacional de TV mostrou um vídeo em que um policial aparece fazendo disparos.

"Sempre busquei a verdade, porque a segurança democrática necessita de uma total confiança do povo colombiano", disse Uribe em pronunciamento por rádio e TV.

"A polícia disparou, sim, o patrulheiro da polícia disparou porque estava sendo atacado com explosivos. Os exames de Medicina Legal que temos demonstram que os indígenas não morreram por disparos da força pública, e sim por explosivos terroristas."

Uribe disse que, em uma semana de manifestações, 32 policiais ficaram feridos, e um agente morreu devido a um artefato explosivo que havia sido abandonado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG