O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse nesta quarta-feira que ordenou a expulsão do embaixador dos Estados Unidos no país, Philip Goldberg, acusando-o de apoiar a oposição conservadora e de querer a divisão do tumultuado país sul-americano.


"O embaixador do Estados Unidos conspira contra a democracia e ainda busca a divisão da Bolívia", disse Morales em um ato no Palácio do Governo, no qual condenou duramente a onda de violência, que incluiu ataques a gasodutos, promovida pela oposição em várias regiões.

"Peço ao nosso chanceler da República que envie hoje [nesta quarta-feira] ao embaixador uma nota para que se faça conhecer a decisão do governo nacional, de seu presidente, para que retorne urgentemente ao seu país; não queremos um separatista que conspire contra a unidade, que atente contra a democracia", acrescentou Morales.

Os Estados Unidos classificaram como "infundadas" as acusações do presidente Evo Morales contra o embaixador americano em La Paz.

Leia também:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.